Damn And In Love Cap 4 - reality?


Ouvia duas pessoas conversando, às vozes estavam um pouco distantes mais eu conseguia ouvir boa parte apesar de não entender nada pois falavam em inglês
  • (Desconhecido)-Então Dr..... Ela vai ficar bem?
  • (Desconhecido)- Sim senhor e senhora Davis, foi só um susto, mais ela sentira dores na cabeça de vez em quando devido a pancada.

Abri lentamente os olhos sentindo uma dor terrível....


Notei que estava num hospital, olhei para o lado e meu irmão Clay estava sentando na poltrona, parecia cansado.
  • (Eu) - O que aconteceu? – Falei meio rouca chamando atenção dele que levantou com uma expressão aliviada e pegou minha mão
  • (Clay) - Você sofreu um pequeno acidente... Como você se sente? – Logo mamãe interrompeu 
  • (Mãe) - Filha que susto você nos deu – me abraçou aliviada – como você se sente? - Perguntou preocupada.
  • (Eu) - E.... eu estou bem... Acidente? - Falei me inclinado mais não foi possível quanto mais eu me inclinava mais minha cabeça doía.... Uma enfermeira interrompeu...
  • (Enfermeira) - Desculpem mais o Dr. Jeremy pediu para que deixassem ela descansar. – Pediu educadamente e ficou aguardando na porta.
  • (Mãe) - Ok- mamãe beijou minha testa- Tenta descansar um pouco querida – saiu do quarto acompanhada de Clay.
  •  (Enfermeira)- Descanse – ordenou enquanto fazia aqueles procedimentos manuais, logo ela injeta alguma coisa desconhecida por mim no soro e sai do quarto fechando a porta, meus olhos vão pesando e a visão embaçando... só deu para ver um vulto sentado na poltrona antes que eu apagasse.

 
Horas depois...

Acordei no susto, estava bastante ofegante e suada ... estava trovejando muito lá fora, passei os olhos por todo o local na tentativa falha de ver quem estava sentado atrás da porta... mais não havia ninguém. Oque me fez pensar que... talvez eu tenha me enganado... ou por conta da batida na cabeça eu posa estar tendo alucinações...


Eu estava sozinha no quarto, estava uma terrível tempestade já era noite, olhei para o relógio e marcava 3 horas da manhã em ponto, como eu pude dormir tanto assim? Levantei e acompanhada do soro fui em direção a porta, abri a mesma e antes que eu pudesse pensar em sair do quarto apagou-se todas luzes. Só dava para enxergar as luzes vermelhas das placas de saída, continuei minuciosamente meu trajeto para achar alguém que possa me dizer se tudo isso é real ou se eu estou louca...
Poucos minutos depois as luzes se acenderão e antes que eu pudesse perceber eu já tinha esbarrado em alguém..

  • (Enfermeira) - Desculpe-me... – Mudou a expressão rapidamente -Devia estar no seu quarto Srta. Davis! Repreendeu a enfermeira estendendo a mão para me ajudar a me levantar.
  • (Eu) - Desculpas, fiquei com medo de ficar sozinha no escuro.... Cadê meus pais?

Ela riu debochadamente, não entendi qual a graça.

  • (Enfermeira)- Uma moça deste tamanho com medo de escuro? Fez uma careta e continuou a rir
  • (Eu) - Me diga você? Teria medo se visse coisas ou pessoas estranhas? Teria medo se sentisse que tudo o que você está vivendo se completa com seus sonhos? Ou melhor... se uma dúvida constante ficasse a todo momento na sua cabeça. – Ela me olhava incrédula
  • (Enfermeira)- Como as...- alguém pigarreia interrompendo e tomando nossa atenção completamente, um homem de jaleco branco engomadinho, sério – Dr. Jeremy – a enfermeira pronunciou, ele assentiu com a cabeça e ela saiu.
  • (Dr.) - Desculpe não me apresentei, sou Jeremy Bieber – estendeu a mão eu cumprimentei.
  • (Eu) - Oi eu sou Ju... - Me interrompeu
  • (Dr) - Juliah Dias Davis, eu cuido do seu caso.... Não pude deixar de ouvir a sua conversa com a enfermeira, e me deixou um tanto curioso... – Suspirei – Melhor voltar para o quarto – assenti e fomos  indo em direção ao quarto. 


  • (Dr) - Então qual é a dúvida que te atormenta? – Perguntou inocentemente
  • (Eu)- Tudo isso é real? .... Desde que eu me perdi na floresta eu fico me perguntando isso várias e várias vezes... – respondi fitando o chão – desde que eu ouvi aquela voz... exatamente como no meu sonho. – Olhei para ele que estava sem expressão, talvez confuso como eu estava
  • (Dr)- Bem... você está falando de alucinações?
  • (Eu)- Não sei... só tenho sentido coisas, visto coisas, vultos...  – Ele não falou nada mais a expressão dele diziam que ele sabia o que estava acontecendo comigo.

Logo chegamos na porta do quarto, ele abriu a mesma e eu entrei e fui me deitar, ele apertou o botão para chamar a enfermeira, que logo adentrou no quarto.

  • (Dr)- Rosália ligue os aparelhos a ela... e atualize o formulário. – Ordenou a enfermeira assentiu, ele pegou em minha mão como se estivesse me confortando e estava.
  • (Dr) - Vai ficar tudo bem, pela manhã iremos realizar alguns exames ok? – Assenti -  tudo é real – ele disse me confortando, suspirei aliviada e ele riu pelo nariz e convocarão ele na sala de emergência A 4 ele me desejou Boa noite e saiu apresado

Dei risada da ironia dele já está quase amanhecendo.
A enfermeira terminou seus afazeres e saiu do quarto, e foi inevitável que eu não adormecesse.



 Quem diria Dr. Jeremy hahaha é meio difícil de imaginar ele engomadinho, sério e de jaleco.
Mais o que será que ele concluiu.. Será que ele sabe de alguma coisa? Próximo capitulo promete hehe
 E aii continua?  5 comentários e eu continuo.... Obrigado por ler Bjos ! <3

 Quer continuar imaginando? Faça uma visitinha nos blogs da campanha Salve os Blogs
Fanfics para todos os gostos :)
 Boa leitura ! 


Um comentário: